Entrevista – Analu Prestes

Entrevista – Analu Prestes

 715 visualizações

Analu Prestes e Ary Coslov em “La Fora Temporal”

Eunoteatro – Analu, sabendo que esta será sua primeira experiência com teatro online, quais as suas expectativas?

Analu Prestes – Estamos fazendo um cine teatro e foi justamente essa proposta que  me interessou. Nesse momento estamos descobrindo essa nova maneira de expressão e comunicação. Uma nova plataforma de atuação que veio pra ficar. Adoro desafios e esse será certamente um deles. E quando é ao vivo, temos aquela sensação de ter uma plateia nos assistindo mesmo que não fisicamente.

Eunoteatro – O que faz “Lá Fora, Temporal” ser tão parecida com os tempos que estamos vivendo?

Analu Prestes – É um texto que nos coloca num mundo que está desabando. Que fala sobre a acumulação, sobreposição de coisas, tempo e vivência, realidade e ficção. Tempos sombrios. Personagens que habitam um submundo recheado de memórias, buracos negros, violência, vingança.

Eunoteatro – Não existindo plateia fisicamente no teatro, acha que existe alguma semelhança com trabalho para o cinema ou TV?

Analu Prestes – Acho que existe sim uma conversa entre eles, pois estamos falando de áudio visual. Mas cada um tem suas peculiaridades que os diferem entre si. Novos tempos, novas linguagens.

Analu Prestes em “La Fora Temporal”

Eunoteatro – Qual o tipo de sentimento que o texto de Marcelo Aquino despertou em você, como foi organizar essas sensações no decorrer do texto e o que te ajudou na construção da personagem?

Analu Prestes – Essa mulher que eu faço ,sofreu um abuso. Isso já me motivou a querer falar sobre essa situação em que nós mulheres somos vitimadas a cada hora nesse país.

 Essa nossa ancestral incapacidade de compreender a existência. Seus sentidos e designíos. O quanto uma vida pode ser perdida se alimentada de vingança e ódio. Falar de amor obsessivo, de redenção. Questões que convivemos diariamente. E tudo isso de uma forma que mistura o que é real e o que é ficção. Desses animais que nos habitam e podem nos levar a caminhos sombrios, tenebrosos. Um texto que namora com o teatro do absurdo.

Eunoteatro – Como tem sido a experiência de contracenar com Ary Coslov?

Analu Prestes – Bom ,somos amigos já faz muitos anos! Conheci o Ary em 1974, quando atuamos juntos em “Titus Andronicus” com direção do Luis Antonio Martines Correa .

Depois ele me dirigiu em Pedra, a Tragédia, um clássico do besteirol em 1987 no Teatro Candido Mendes.

Agora estamos juntos novamente depois de tanto tempo em cena, contracenando outra vez! Muito bom estar entre amigos !!

Eunoteatro – Existiu alguma diferença na direção feita por Cássia Vilasbôas, diretora do espetáculo, por se tratar de uma peça online?

Analu Prestes – Sim. Primeiro tivemos de fazer com que o texto tivesse uma hora de live. Depois  ela de cara veio com essa proposta de um cine teatro. Então contracenamos via câmeras. Estabelecemos dois espaços distintos para cada personagem e não nos olhamos. Falamos um para o outro através das câmeras que nos seguem. Uma atuação em paralelas. Um contato também direto com o espectador que nos vê em closes.

Analu Prestes em “La Fora Temporal”

Eunoteatro – Quando tudo estiver normalizado, vocês pretendem continuar com o espetáculo da forma tradicional?

Analu Prestes – Ainda não falamos sobre isso. Vamos ver como tudo vai acontecer daqui pra frente. Estamos vivendo tempos difíceis e vamos ver como será  esse retorno aos palcos e como teremos condições financeiras para levantar um trabalho. Porque agora estamos numa corrente solidária e fazendo com um mínimo mesmo sem ninguém receber nada. Mas que é necessário nesse momento não calarmos!!

Eunoteatro – Analu, agradecemos a sua disponibilidade em nos tirar um pouco da curiosidade sobre a peça e também por falar um pouco sobre esse mundo novo que é o “teatro virtual”. Muito sucesso, hoje e sempre!

Analu Prestes e Ary Coslov em “La Fora Temporal”

Instagram: @prestesanalu

SINOPSE

Um exercício dramatúrgico sobre a dimensão temporal e seus efeitos. Sobre nossa ancestral incapacidade de compreender a existência, seus sentidos e desígnios. Um olhar dilatado sobre a acumulação, sobreposição de coisas, tempo e vivência. Oscar, nosso personagem principal, está inexoravelmente preso ao universo particular que construiu com as sobras de um mundo em decomposição. Um homem em guerra com sigo mesmo, habitando pausas e intervalos de um tempo que não cessa. Uma inusitada visita na noite, um emblemático encontro sobrepondo realidade e ficção, passado e presente em um jogo de revelações que mostra o quanto podemos ser constantemente traídos pela própria memória. Este é o tema central de um texto que revela personagens de um universo Beckettiano, condenados pela própria existência em uma atmosfera onírica que funde sonho, delírio e realidade, armando uma teia de relações, atravessamentos e afetos.

SERVIÇO:

04 NOV A 25 NOV

Quartas| 17h

PREÇOS: InteiraR$ 10,00 – MeiaR$ 10,00

INGRESSOS:

https://www.teatropetragold.com.br/programacao/espetaculo/la-fora-temporal

INFORMAÇÕES:

  • Duração: 60 min
  • Classificação: 12 anos
  • Texto: Marcelo Aquino
  • Direção de Arte, Cenário e Figurinos: Guilherme Reis
  • Trilha Sonora: Juko Lessa
  • Ass. Direção: Kika Werner
  • Projeções: Pedro Lucas
  • Produção: NOVE PRODUÇÕES
Quero ser avisado
Notificar
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments