Prêmio Arcanjo de Cultura

Prêmio Arcanjo de Cultura

 476 visualizações

O nome dele é Miguel Arcanjo Prado, crítico e jornalista cultural, reconhecido entre outras coisas, por amar a arte e a diversidade. Acompanhando espetáculos pelos quatro cantos da cidade, com o mesmo carisma e o mesmo sorriso no rosto, é com este espírito respeitoso e desbravador, sincero e solar, que ele está mais uma vez á frente da segunda edição de seu Prêmio Arcanjo de Cultura.

Nesta entrevista, fizemos uma breve síntese da essência do Prêmio e de seu idealizador.

Apoiar e amparar a cultura é um dever de todos nós, sobretudo, em tempos tão difíceis! Prestigiar e valorizar estes profissionais de garra é a missão do Prêmio Arcanjo de Cultura, idealizado pelo jornalista e crítico Miguel Arcanjo.

A premiação tem sua 2ª edição dia 28 de abril, quarta-feira, às 19h, marcando a estreia do canal do Arcanjo no YouTube – http://bit.ly/YouTubeArcanjo.

Siga no Instagram: @premioarcanjo  @miguel.arcanjo 

Parafraseando o próprio Miguel : “Curta, se inscreva, coloque o sininho pra tocar e jogue o link nos grupinhos do Whatsapp. A cultura (e o Arcanjo) agradecem!”

Vamos lá!

Sérgio Mamberti – Homenageado da primeira edição do Prêmio Arcanjo de Cultura

Eunoteatro – O “Prêmio Arcanjo de Cultura”, teve sua primeira edição em 2019 e reuniu importantes nomes em uma linda celebração realizada no “Theatro Municipal”. Como foi a sensação de subir naquele palco e ver seu projeto sendo realizado e prestigiado por tantos artistas? Esse era um sonho antigo?

Miguel Arcanjo – Olha, Cintia, foi uma sensação realmente indescritível. Confesso que por ser 18 de dezembro, não esperava que fosse lotar. Foi algo surpreendente ver o Municipal com todo mundo da cultura lá. Eu fiquei com as pernas bambas quando entrei no palco e vi o Municipal lotado, com todo mundo me aplaudindo de pé. Tenho certeza que este foi um dos momentos mais importantes e marcantes da minha trajetória no jornalismo. Agora, para ser sincero, eu não pensava que teria um dia uma premiação cultural. Ela surgiu de forma natural, como consequência da grande repercussão que as minhas listas de Melhores do Ano sempre tiveram. Foi um processo bem natural e não foi planejado e que contou com um belo empurrão do ator Ivam Cabral, o diretor artístico do Prêmio, que foi o principal encorajador desta ideia.

Eunoteatro – Um dos aspectos mais emblemáticos e marcantes do prêmio é a grande abrangência e diversidade entre os indicados, homenageados e participantes. Qual é a fórmula para congregar artistas tão diversificados?

Miguel Arcanjo – Creio que isso acontece porque eu tenho um júri plural e diversificado. Adriana de Barros, Bob Sousa, Elba Kriss, Hubert Alquéres, eu e Zirlene Lemos formamos um time de profissionais tarimbados na cultura e com comprometimento real com a diversidade e a representatividade, que, aliás, está na nossa cara. Não é fácil para nós fazer essa lista, mas ela acaba refletindo o próprio júri. É só ver a foto de todos nós seis juntos e o currículo de cada um pra ver como somos plurais. 

Eunoteatro – Devido à pandemia houve um “boom” das “lives” e apresentações de espetáculos online e por toda parte, se ouvia o questionamento: “É teatro ou não é teatro?”. Diante disso, você sabiamente resolveu valorizar e indicar ao prêmio esses profissionais que estão fazendo a engrenagem da arte girar. Quais são os seus argumentos para lidar com quem ainda possui esse tipo de questionamento?

Miguel Arcanjo – Esse tipo de questionamento se é ou não é no fundo tem um viés pedante e elitista, sobretudo diante do atual momento que a cultura vive, no qual o digital é a única forma de sobreviver. Entendo o papel do jornalismo cultural e da crítica não como um definidor de coisas. Muito pelo contrário. Nosso papel é comunicar e refletir sobre o que surge na arte em nosso tempo, é propor diálogos e estar sempre aberto ao novo. Não cabe ao jornalista e ao crítico esse papel de Deus Todo-Poderoso que diz o que pode ou o que não pode. Este tipo de postura arrogante e até mesmo colonizadora não tem vez mais no mundo contemporâneo. 

Eunoteatro – Quais os maiores desafios para realização do “Prêmio Arcanjo de Cultura” em formato digital, em tempos tão difíceis e sofridos para os profissionais da arte e cultura do nosso país?

Miguel Arcanjo – O maior desafio foi realizar todo o processo seguindo todos os protocolos sanitários e de distanciamento. Mas tive uma colaboração imensa não só do júri como de toda a gigante equipe que está nos bastidores do Prêmio Arcanjo de Cultura. Gente da melhor qualidade e todos querendo que tudo dê certo. E tenho de agradecer a cada indicado bem como seus respectivos produtores e assessores por entenderem este novo momento e terem colaborado conosco. E agradeço à turma da Iracema Rosa Filmes que está cuidando da parte audiovisual com todo o carinho do mundo. Preciso dar muito obrigado também ao meu diretor de produção, Hernan Halak, e aos produtores Elen Londero e Gustavo Ferreira, que são altamente competentes também.

Eunoteatro – Adoro saber sobre os bastidores, conte-nos um pouco como é feita a escolha dos indicados ao Prêmio e como você chegou aos nomes que fazem parte do corpo de júri?

Miguel Arcanjo – Todos os membros do júri são profissionais que admiro há muito tempo e que conheci no meu exercício profissional, além de todos serem especialistas com visão de mundo que se aproxima da que busco imprimir no jornalismo cultural que faço. Não tem muito segredo em nossas reuniões. Durante todo o ano o júri observa o que se passa de importante e relevante nas respectivas áreas, e no final a gente discute juntos, para chegar à lista final. É sempre um encontro agradável e respeitoso. Posso dizer que o Prêmio Arcanjo de Cultura tem o melhor júri do mundo — e olha que eu tenho muita experiência nos júris mais diversos possíveis!

Eunoteatro – Ivam Cabral é quem assina a direção artística do prêmio, neste período de pandemia ele acumulou uma vasta experiência em espetáculos digitais, de que forma isso contribui para a realização do prêmio em formato digital e como tem sido a parceria de vocês?

Miguel Arcanjo – O Ivam Cabral é o grande padrinho do Prêmio Arcanjo de Cultura. Foi ele quem viu o potencial para isso na lista que eu fazia no meu Blog do Arcanjo com os Melhores do Ano na Cultura. Lembro dele chegando e falando: “Miguel, você precisa fazer seu prêmio. Sua lista é mais compartilhada nas redes que a de muitos prêmios que existem”. O Ivam é um cara à frente de seu tempo, realmente tem uma visão de águia, além de ser muito generoso. Ele traz essa bagagem de ator pioneiro no teatro digital para esta cerimônia, feita de modo simples, mas muito cuidadoso. O foco é o coração, o amor. Por conta do período difícil, apenas eu vou apresentar dessa vez, e não pudemos contar com aquele maravilhoso time de apresentadores da primeira edição. Mas na terceira a gente volta vacinado e misturado, se Deus quiser!

Eunoteatro – Miguel, estamos felizes por ter você aqui no Eunoteatro falando sobre este prêmio tão importante para a nossa cultura, em tempos tão sombrios você chega com sua luz solar trazendo essa celebração que com certeza será como um balsamo de ânimo e alegria para todos nós. Estamos ansiosos para que chegue logo o grande dia, não posso terminar essa nossa conversa sem pedir um “spoiler”, o que podemos esperar para a noite da premiação?

Miguel Arcanjo – Eu que estou feliz em conceder esta entrevista a vocês. Eu leio sempre o Eunoteatro e sigo no Instagram. Admiro muito o trabalho que você vem construindo, Cíntia Duque, com muito carinho, paixão e entrega. Você está demarcando seu espaço no jornalismo cultural contemporâneo e fico feliz em tê-la como aliada neste processo de fazer a cultura chegar às pessoas de modo simples e direto. É assim que tem de ser. Como spoiler… posso dizer que teremos participações incríveis dos seis jurados, inclusive com a jurada Zirlene Lemos falando direto de Belo Horizonte. Agora, pra conhecer a lista dos vencedores tem de acompanhar a cerimônia no dia 28 de abril, quarta, às 19h, no Canal Blog do Arcanjo no Youtube! Já se inscrevam no canal e coloquem o sininho pra tocar! A cultura (e o Arcanjo) agradecem!

Serviço:

2º Prêmio Arcanjo de Cultura 2020

Dia 28 de abril de 2021, quarta-feira, às 19h

Transmissão: Canal do Arcanjo no YouTube – http://bit.ly/YouTubeArcanjo

Classificação etária: Livre

Grátis

Mais informações: blogdoarcanjo.com

Instagram: @premioarcanjo  @miguel.arcanjo 

Algumas fotos da primeira edição:

Quero ser avisado
Notificar
guest
1 Comentário
Mais antigos
Mais recentes Mais votados
Inline Feedbacks
View all comments
trackback

[…] Culturadoria, Claudia, Sesc, A Broadway É Aqui, O Beijo, Das Artes, Portal Estilo em Pauta, Eu no Teatro, A Escotilha e Sheila Martins Blog. Muito […]